A venda direta atrai muitas pessoas para o ramo por ter inúmeras vantagens, entre elas a flexibilidade de horário e ganhar de acordo com o quanto trabalha… mas além destas coisas, a venda direta também pode gerar um enorme engajamento social.

No ramo de venda direta uma das coisas que mais é criticada é sobre o quão sustentável é o negócio, isto é, a capacidade de gerar ganhos para os revendedores. Mas isso não faz com que o número que pessoas que entra nesse mercado diminua, muito pelo contrário, só cresce! Segundo dados da World Federation of Direct Selling Associations, no ano de 2015, mais de cento e três milhões de pessoas atuam nesse mercado, um aumento de 4,4% em relação ao percentual anterior. Se a venda direta conquista tantas pessoas, será que não é um negócio sustentável de fato?

Engajamento social

Um dos maiores desafios da indústria é evidenciar o efeito da venda direta na vida de muita gente e também na economia. Por isso, as empresas precisam incentivar o engajamento com a sociedade para deixar a indústria mais forte. Isso pode ser feito pelos revendedores, interagindo com governos, representantes, participação na vida pública, entre outras coisas podem ser feitas localmente.

Isso não é apenas para efetuar a venda, mas para ajudar a comunidade como um todo. E quando essa conexão passa a existir, o ramo fica muito mais forte.

Poder econômico e social

A venda direta tem uma influência muito grande na vida de seus clientes por ser totalmente baseada na relação interpessoal. E isso pode fortalecer a sociedade como um todo, afinal, é um mercado gigantesco. Imagine quantas pessoas não podem ser ajudadas! O poder está nas nossas mãos!

POSTS RELACIONADOS com venda direta:

Venda porta a porta cresce muito no Brasil
Como vender por catálogos
Como ser revendedora Avon
Dicas de como ser uma revendedora bem sucedida
– Dicas para quem está começando a revender

Share This