Hoje em dia muita gente busca ser seu próprio chefe e criar um negócio de sucesso, tendo assim, bons rendimentos e a sua independência. Uma distribuidora de venda direta pode ser uma ótima maneira de se tornar um empreendedor de sucesso. Com risco baixo e grandes chances de lucro você vai precisar se dedicar e claro, ter conhecimento na área de vendas.

Assim como todas as outras empresas de diferentes áreas precisam ter pilares e fundamentos, com a distribuidora de venda direta é a mesma coisa.

Vamos primeiro entender o que é consumidor, comerciante, fabricante e distribuidora (que muitas vezes confundimos um com outro):

Fabricante: É a indústria que vai produzir o produto, usando a matéria prima necessária, mão de obra, tecnologia entre outras coisas para criar o produto que vai ser comercializado. Depois do produto pronto as fábricas os vende em grande quantidade para as distribuidoras.

Distribuidora: Compra dos fabricantes em grande quantidade, faz a logística e a venda para sua lista de clientes. Que são geralmente pequenas empresas que não conseguem comprar com os fabricantes pois é preciso comprar em grande escala com eles.
O trabalho da distribuidora é ter clientes e levar até eles os produtos dos fabricantes. Ganhando uma porcentagem sobre as vendas, porque por comprar direto da fábrica em grande quantidade o distribuidor consegue preços muito menores.

Comerciante: É aquele que compra os produtos e vende para o consumidor, geralmente em uma loja física.

Consumidor: É quem compra o produto ou serviço sem a intensão de comprar pra revender ou ganhar dinheiro com isso.

Agora vamos as dicas para abrir uma distribuidora de venda direta:

1. Escolha em que área quer trabalhar

Qual é a área que você tem interesse em trabalhar? Cosméticos? É sempre bom gostar daquilo que faz e se já tem conhecimento da área, melhor ainda pois vai ser mais fácil saber quais são os produtos melhores, os preços, lucros, concorrência e qualidade.

Depois disso, ache um produto com um preço baixo e que tenha demanda.

Esse vai ser o seu “teste drive” como distribuidora de venda direta, para se familiarizar com os processos e tudo mais. Mas é claro que mais pra frente vai poder distribuir outros produtos.

Bônus: É interessante montar um plano de negócio, que nada mais é do que uma análise da variáveis do negócio. Estudando o mercado, analisando os riscos e lucros, entre outras coisas.

2. Escolher a fábrica

Busque a fábrica mais perto de você que supra suas necessidades de produtos.

Encontrou a fábrica ideal? Ligue e marque uma reunião com o responsável pelo setor de vendas para conversarem.

Anote todas as dúvidas que tiver para perguntar na reunião. Como por exemplo: quantidade mínima de pedido, preços, garantia do produto, formas de pagamento e existência de outro distribuidor na região (concorrência).

Depois de conseguir essas informações, vai seguir para o próximo item da lista.

3. Pesquisa de Mercado

Analisar o mercado é um passo super importante nessa jornada. Afinal, se o mercado não estiver a seu favor, você vai passar por fases difíceis e vai acabar falindo a empresa.
Antes de começar qualquer coisa sobre o negócio é essencial saber se o mercado é promissor. Faça visitas aos comerciantes, descubra quem são os distribuidores do comerciantes e bata um papo sobre necessidade deles em comprar o produto que pretende vender.

Pesquise também sua concorrência! Faça um estudo sobre quem serão seus concorrentes e qual o nível dessa concorrência com o máximo de detalhes possível. Isso para que você não coloque dinheiro e tempo em um negocio que pode não vingar.

4. Localidade

Não é necessário que a distribuidora seja bem localizada, mas ela precisa sim ficar em uma região/cidade que tenha uma boa demanda do produto que pretende distribuir.

É bom o local tenha um estacionamento grande para estacionar os caminhões que irão carregar.

5. Estrutura

Abrir uma distribuidora de venda direta requer também que você tenha um depósito amplo, porque afinal, os produtos precisam ficar guardados em algum lugar. Analise se no seu caso é melhor alugar ou montar um depósito para seus produtos. Lembre-se que esse depósito não precisa ter uma localização boa, ou seja, você pode conseguir um alugar bem barato.

E o tamanho do depósito?
Bom, isso vai depender do produto que pretende distribuir, mas é interessante ter espaço de sobra, pois caso a distribuidora cresça, já vai ter espaço para guardar os produtos.

6. Compra de Produtos

Vamos imaginar que você decidiu de fato abrir uma distribuidora de venda direta, esse seria o momento de comprar os produtos para distribuir depois.

Compre só a quantidade mínima que a fabricante autoriza para uma distribuidora.

Depois da compra desses produtos, você vai poder distribuir e dar uma “amostragem” da qualidade do que está vendendo.

Sem a venda de distribuidor para comerciante… não tem como a distribuidora de venda direta se sustentar, então, procure sempre vender mais e melhor!

7. Logística

Essa é provavelmente a parte mais importante e delicada ao pensar em abrir uma distribuidora de venda direta.

A logística é toda a parte de transporte dos produtos comercializados. Afinal, o fabricante não vai entregar os produtos na porta da sua distribuidora, e o comerciante também não vai buscar os produtos. Logo, você é quem precisa ter caminhões para fazer esses deslocamentos.

Contratar motoristas bons e que conheçam os caminhos que vão percorrer transportando os produtos. Mas se ele não conhecer os caminhos, existem vários aplicativos que auxiliam nas melhores rotas.
Além de ser um ponto importante, a logística é um dos gastos mais altos que você vai ter. Mas também é um custo que pode ser reduzido.
No começo, um “caminhãozinho” já é o bastante para fazer o transporte dos produtos, e é importante se lembrar de custos como manutenção de pedágios.

Há motoristas que já tem o caminhão e querem trabalhar como freelancer, ou seja, receber pelo frete. Se contratar motoristas dessa forma, pode conseguir diminuir os gastos consideravelmente. Mas também tem o ponto que eles podem não estar disponíveis quando você precisar, já que podem ser contratados por outras empresas.
O melhor é contratar motoristas que tenham caminhões e pagar pelo frete só pra buscar os produtos na fábrica, já que a carga vai ser muito grande. Já para entregar para os comerciantes, é bom ter um caminhão pequeno, e fazer várias viagens no mesmo dia.

8. Clientes

Os motivos principais que levam as distribuidoras que estão começando a falir é se preocupar muito com os produtos, qualidade e preços. Preste mais atenção nos clientes, é importantíssimo combinar bom produto com uma carteira de clientes forte.

Se esforce para aumentar sua carteira de clientes. Os comerciantes reparam geralmente em 5 pontos antes se fechar com o distribuidor, que são: produto, preço, prazo de entrega, atendimento e referências.

O produto é importante obviamente, mas não só eles. Tenha sempre um atendimento bacana, boas referências e busque sempre clientes novos.

9. Novidades de produtos

Procure sempre saber sobre as novidades de produtos que está tendo demanda, fale com seus clientes sobre o que eles precisam.

Ampliar sua distribuidora pode ser possível, mas é preciso fazer uma análise de custos e veja se é viável começar a trabalhar com o novo produto.

Depois de já ter uma distribuidora de venda direta, para expandi-la com novos produtos os custos vão ser mais com a logística. Que geralmente não vai nem precisar contratar mais pessoas e nem arrumar um depósito novo (dependendo do tamanho do seu depósito atual).

10. Controle de qualidade

Por último mas não menos importante, é necessário sempre fazer um análise de controle de qualidade com frequência. Isso para conseguir fidelizar os clientes e claro, ter qualidade nos serviços.

Por meio desse controle de qualidade, a distribuidora de venda direta vai estar realmente explorando o máximo de capacidade, tanto em mão de obra quanto a tecnologia usada.
Outra coisa que não pode esquecer de prestar muita atenção é o fluxo de caixa, análise de gastos e lucros.

Claro que os gastos estão sempre se alterando, mas não se pode passar toda alteração para os comerciantes. Logo, se a diferença for muito grande, vai ser preciso reavaliar os preços dos produtos.
O lado financeiro é super importante para ter um negócio estável. Então, pode ser legal contratar um contador da área e com experiência de trabalhar com empresas. Ficando assim, mais fácil de analisar os dados.

Se ainda assim tiver dificuldades, pode entrar em contato com um escritório de contabilidade ou até mesmo uma consultoria.

11. Se associe

Essa dica é para depois que você já estiver atuando como distribuidor.
ABRADVD é uma entidade sem fins lucrativos e tem a MISSÃO de promover a valorização do negócio de venda direta.

Se associando você vai ter vários benefícios! Como acesso a eventos, palestras, dados de mercado, networking, contratação de serviços, projetos de pesquisas, etc, com preços diferenciados. Entre outras vantagens.

Bom, todos sonham em alcançar o sucesso, e pra isso é preciso ter paciência, determinação e muito planejamento. Não tente fazer aquilo que já sabe que não está a seu alcance. Analise os lucros e custos da empresa, assim, estará sempre pronto para diminuir os gastos e mudar algo.

Só pra finalizar, pesquise muito sobre os fabricantes que for trabalhar. Observe a qualidade dos produtos e se estão dentro das normas legais, pois isso pode acabar sobrando pra você. Afinal, você está repassando esse produtos para outras pessoas que estão confiando em você, não faça com que essas pessoas parem de confiar.

POSTS RELACIONADOS:

Como abrir uma distribuidora de catálogos (lado burocrático)
Pare de vender e comece a construir relacionamentos
Como vender melhor
– O que é varejo Omnichannel?
Como empreender

Share This